sábado, abril 13, 2013

6

A águia e a cobra - Arquétipos de nossa natureza humana




Por Hermes C. Fernandes

Hoje assisti in loco a um duelo entre uma águia e uma serpente. Fui levar minha esposa ao trabalho, e na volta, enquanto aguardava o sinal abrir, eu, minha filha Revelyn e meu sobrinho Pedrinho assistimos à cena inusitada. A águia veio descendo velozmente com as garras projetadas para frente, e quando pousou sobre a serpente, foi recebida com um bote. A luta continuou depois que o sinal abriu e não sabemos o resultado. Presumo que a águia tenha vencido, como geralmente acontece. É muito difícil para uma cobra, mesmo peçonhenta, resistir ao poder das garras daquela ave.

Águias e serpentes são abundantes aqui na Flórida. Recentemente, nosso quintal recebeu a visita de uma cobra. Mas desde que flagrei uma águia pousada no mesmo lado onde avistamos o tal réptil, nunca mais a cobra deu o ar de sua graça. Provavelmente, virou comida de águia.

Assistir àquele embate me fez passar o dia refletindo.

A cobra é um réptil rasteiro de sangue frio, enquanto a águia é uma ave de sangue quente que voa em alturas inatingíveis para qualquer outro animal. Enquanto a cobra troca de pele, a águia troca sua penugem. O poder da águia está na envergadura de suas asas e na força de seu bico e suas garras. Já o poder da serpente está em seu veneno.

Enquanto o povo de Deus é desafiado a ser como uma águia, renovando constantemente sua força em Deus, os ímpios são comparados à prole da serpente. As Escrituras cristãs estão repletas de imagens que sugerem esta comparação.

A águia é símbolo de renovação, de confiança, de destreza, de majestade. Mas a serpente é símbolo de traição, de astúcia, de malignidade.

A serpente é traiçoeira e mantém-se sempre escondida. Seu bote sempre acontece sem aviso prévio, com exceção da cascavel com seu chocalhe. Já a águia avisa que está chegando desde que avista a presa, dando-lhe chance de escapar. O som que emite, juntamente com a envergadura de suas asas, não a deixam passar despercebida.

Os hipócritas e traidores são verdadeiras serpentes que trocam sua pele de acordo com a conveniência. Esperam a hora certa de dar o bote. São calculistas e frios. Ainda que pareçam agir pela emoção do momento, suas atitudes são planejadas e têm como objetivo derrubar quem está em seu caminho. Trocam seu discurso como a serpente troca de pele.

Os visionários são como águia, capazes de vislumbrar o futuro. Mesmo quando pegos de surpresa pelo bote da serpente, não recuam, mas mantém os olhos fitos no alvo. Renovar as penas não é como trocar de pele. O discurso continua o mesmo. Antes de ser leal aos que o cercam, é fiel à visão que Deus lhe deu. E justamente daí vem sua lealdade para com aqueles que nele confiam. Ser fiel a Deus e leal aos amigos acaba resultando numa consciência tranquila e forças renovadas.

Postado originalmente em 20/04/2010 durante meu "exílio" nos EUA.

6 comentários:

  1. Devemos sempre renovar nossa fé como a águia e manter o nosso foco principal: evangelizar e fazer boas obras para irmos ao Céu, não importando quantas serpentes venham atacar, o verdadeiro cristão nunca perde o seu foco!

    A Paz!

    ResponderExcluir
  2. É isso ae salmista! Deus fala com nosco de cada maneiro em! Basta estar atento a sua voz!

    Tenha uma ótima semana!

    ResponderExcluir
  3. Exelente texto.
    Colocamos seu baner em nosso blog
    www.constrangidospeloamor.blogspot.com
    se puder dá uma força...
    abraço.
    Igo Delanio

    ResponderExcluir
  4. Detonou! Sem palavras para comentar.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  5. Anônimo12:23 AM

    sonhei com isso hj tava procurando um significado axei o q eu procurava o texto me ajudou muito.
    obrigada

    ResponderExcluir
  6. Ótima descrição sobre os dois extremos, traição e lealdade, malignidade e majestade. Porém acho que a parte religiosa no texto não se encaixe bem.

    ResponderExcluir